fbpx

6 Dicas para conduzir em neblina

Veja as melhores dicas para dirigir um veículo com seguraça em situação de neblina

Sumário

6 Dicas para conduzir em neblina

Situações em que há a presença de neblina em estradas é bem preocupante, sendo obrigação do motorista redobrar sua atenção e cuidados com o trânsito para não provocar um acidente. veja as 6 dicas para conduzir em neblina.

O que é a neblina?

A neblina é o fenômeno meteorológico que consiste na formação de nuvens próximas ao solo. Por conta da condensação da água presente na atmosfera.

É comum a presença de neblinas em regiões serranas, onde a temperatura acaba sendo mais baixa. Logo, nos períodos mais frios do dia, haverá neblina nestas regiões. No Brasil, é comum ver neblinas no inverno, pois a água evaporada não resiste ao frio, e se transforma em nuvem,

1 – Utilize faróis de neblina

Para aqueles veículos que possuem faróis de neblina é muito importante utilizar nestas horas. Pois o feixe de luz criado pelos faróis de neblina é amplo, e com o objetivo de minimizar o reflexo de luzes gerado pela neblina. O feixe é direcionado para o chão, para facilitar a visibilidade do condutor do veículo, e para não atrapalhar nos veículos de sentido contrário.

Muitos motoristas ainda confundem o farol de neblina e farol de milha, achando que se trata do mesmo farol. Porém, não é, os dois possuem usos bem diferentes, como citado acima. O farol de neblina possui feixes mais amplos e direcionados ao solo, quanto o farol de milha. Como o próprio nome diz tem o objetivo de iluminar ao longo de uma milha (medida de distância utilizada nos Estados Unidos), que equivale a 1.609 metros.

A maioria dos veículos que possuem farol de neblina na parte da frente do carro, também possui atrás. E geralmente o acionamento destes é independente, nestas horas é muito importante acionar os dois, para sinalizar os veículos de trás também.

Para os carros que não possuem faróis de neblina, é importante que o condutor ligue somente os faróis baixos.

2 – Jamais utilize farol alto

É muito comum alguns motoristas ao entrarem em regiões com neblina acionarem o farol alto do veículo. Imaginando que com mais iluminação ficará mais fácil a visibilidade e sair com segurança daquela zona de neblina. Porém, não é isto que acontece, na verdade, ocorre o oposto, pois o forte feixe de luz acaba refletindo nas pequenas gotículas do ar úmido. Assim ofuscando ainda mais a visibilidade do condutor do carro, e por consequência, do outro motorista que estiver em sentido contrário.

3 – Não ligue o pisca-alerta

Muitos motoristas tem o costume de acionar o pisca-alerta em casos de forte neblina. Porém não é o correto a se fazer, pois o pisca-alerta só deve ser ligado na rodovia com o carro parado ou em emergência. Caso contrário, poderá confundir outros motoristas, dando a impressão que o veículo com pisca-alerta ligado está parado na pista. Podendo assim causar acidente com os veículos que se aproximam.

4 – Nunca pare no acostamento

Caso a neblina esteja muito espessa, dificultando a visibilidade do motorista, em alguns momentos o melhor a se fazer é parar o veículo, para esperar diminuir a neblina, porém, nunca se deve parar o carro na pista ou mesmo no acostamento. O ideal a fazer é procurar locais seguros para parar o veículo, como, postos de gasolina, ou outro local seguro que não atrapalhe o caminho dos outros veículos.

5 – Aumentar a distância, redobrar atenção, diminuir a velocidade

Nestas condições de neblina é muito importante que o motorista redobre sua atenção quanto ao trânsito, pois a visibilidade diminui bastante. Então, ao se deparar com uma região com neblina, diminua a velocidade do veículo, e muito importante, aumente a distância do veículo a frente, pois se precisar realizar uma freada brusca terá espaço, e lembre-se que em regiões de neblina o asfalto tende a estar bastante úmido, logo, o tempo de frenagem do carro irá aumentar.

6 – Operação Comboio

Com a alta frequência de acidentes por conta de fortes neblinas nas rodovias Anchieta e Imigrantes, que ligam a cidade de São Paulo a cidades do Litoral, como Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande, entre outras, a concessionária da rodovia em parceria com a Polícia Rodoviária disponibiliza veículos para auxiliar na descida da serra, estes veículos tomam a frente em todas as faixas da via, formando um comboio, e seguem o caminho em baixa velocidade, a fim de diminuir a chances de prováveis acidentes.

Operação Comboio

O comboio é formado logo após o pedágio, e junta grupos de 500 veículos a cada comboio. Todos os veículos que passam pelo pedágio, e a operação está vigente, é obrigado a continuar o caminho com todo o grupo, não sendo uma decisão facultativa pelo motorista, este projeto da concessionária da rodovia junto com a polícia rodoviária é denominado Operação Comboio.

Gostou do artigo 6 Dicas para conduzir em neblina Compartilhe…

Continue lendo outros artigos relacionados: